Assassinos mataram adolescente por venda de moto roubada

Acerto de contas. Esse foi o principal motivo pelo qual Gabriel Henrique da Silva dos Santos, 17 anos, foi morto com três tiros na tarde de segunda-feira (8), na frente de sua casa, no Jardim centro-Oeste, região sul, na frente da mulher e da filha de 1 ano.

Duas horas depois do crime, a polícia prendeu o mecânico Edson de Souza Rocha, 20, acusado da morte, escondido em uma casa no bairro vizinho do Jardim Los Angeles. Ele negou ser o autor dos disparos. Culpou o comparsa, que segue foragido, e disse que a motivação para isso foi o fato da vítima estar cobrando deles R$ 400 pela venda de uma moto rubada, na semana passada.

Rocha já fora preso anteriormente por receptação, roubo e tráfico. Ainda de acordo com seu depoimento, todos esses crimes foram cometidos junto do comparsa fragido.

Santos acertou a  venda do veículos à dupla, que pagou por uma parte e ficou devendo a quantia mencionada. No domingo (7), o adolescente foi cobrar o valor e acabou ameaçado de morte no meio da rua.

Em seu depoimento, o acusado diz que decidiram suspender o pagamento pelo fato de descobrirem que a moto era roubada.

O caso continua sendo investigado pelo 5º DP (Vila Piratininga).

O CASO

Um adolescente de 17 anos foi morto a tiros em uma ocupação na Rua Araraquara, no Jardim Centro-Oeste, região sul de Campo Grande, no início da tarde desta segunda-feira (8). O autor do crime, que foi de bicicleta ao local com um comparsa, já teria sido identificado.

Gabriel Henrique da Silva Santos foi baleado três vezes, uma no peito e duas na cabeça. Ele já fora apreendido por tráfico e furto.

O adolescente não resistiu aos ferimentos e morreu na hora, mesmo com o socorro de uma ambulância e dos Bombeiros.

A Polícia Militar está no local, assim como familiares, que estão em estado de choque e não conseguem dar maiores explicações sobre o ocorrido. O atirador fugiu após o crime.

Segundo testemunhas, o atirador chegou de bicicleta com o comparsa, o chamou ao portão, fez os disparos sem falar nada e fugiu.

Ainda de acodo com testemunhas, Santos foi cobrar na noite de domingo (7) uma dívida de R$ 400 que teria emprestado para um desafeto, que também mora no bairro. Não está descartada a hipótese do crime ter relação com o tráfico de drogas. Essa pessoa foi identificada como a autora. Policiais o buscavam até a publicação desta reportagem. 

Segundo os Bombeiros, a vítima faria 18 anos daqui dez dias.


Crédito imagem: Reprodução

Crédito matéria: RAFAEL RIBEIRO