09/02/2019 - 18:44:00

Promessa era de calor, mas temporal deu as caras em Campo Grande

Ela foi curta e rápida. Mas foi o suficiente para pegar muita gente que leu a previsão de forte calor de surpresa. Na tarde deste sábado (9), Campo Grande foi visitada por um temporal de cerca de 20 minutos.

De acordo com previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), neste sábado (9), o sol predomina e os termômetros podem registrar a máxima de 38°C. A mínima também é elevada, de 20°C.

O Inmet alertou para o risco de pancadas de chuva em pontos isolados e em bairros das regiões leste e sul.

Apesar de curto, as 'águas de fevereiro', conforme os meteorologistas previram, trouxeram pontos curtos de alagamento na região norte, mais precisamente no bairro Coronel Antonino, segundo a Prefeitura

Mesmo assim, até a publicação desta reportagem não haviam registros de ocorrências graves pelos Bonbeiros e a Polícia Militar

FEVEREIRO CHUVOSO

No que depender das previsões meteorológicas, fevereiro terá muito mais chuva que no mês passado. É o verão voltando à sua normalidade: quente e chuvoso. A chuva da tarde desta segunda-feira (4) já é um indicativo do que virá pela frente neste mês. 

Relatório assinado pelo meteorologista Natalio Abraão Flho indica que na primeira quinzena deste mês ocorrerão muito mais precipitações. São esperadas, no período indicado, mais frentes frias e ciclones oriundos do Antárctica. Estas massas se espalham pelo continente a partir do Cone-Sul e atingem, sobretudo, o interior de Argentina, Paraguai e Brasil - sobretudo a região Centro-Oeste. Somado a este fenômeno, o aquecimento das águas do Oceano Atlântico também deve trazer chuvas a Mato Grosso do Sul, e também às regiões Sul e Sudeste do Brasil. “É bom ficar atento porque há chances de ocorrer chuvas mais frequentes para o Sul do Brasil até o sul de MS”, afirma Natálio.  

 

Na segunda quinzena de fevereiro, as chuvas tornam-se mais irregulares, conforme análise do meteorologista. A temperatura também deverá apresentar leve declínio neste período. 

JANEIRO FOI SECO E QUENTE

No mês passado, o volume de chuva foi bem abaixo do esperado. A estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) verificou um volume total de 55,6 milímetros em Campo Grande, enquanto a média histórica do mês supera os 200 milímetros. Em janeiro de 2018 também já havia chovido abaixo da média, porém, o dobro do mês passado: 11 0 milímetros.   

Com pouca chuva, o calor foi fortíssimo. Na capital do Estado, os termômetros chegaram a marcar 37,9ºC no mês passado. No interior, como em Porto Murtinho (MS), a temperatura atingiu 41ºC.

No campo, o calor e a estiagem resultaram em perda de produtividade nas lavouras. Nas de soja, por exemplo, a produção foi pelo menos 13% menor.



Cr馘ito Mat駻ia: RAFAEL RIBEIRO
Cr馘ito da imagem: Divulga鈬o