03/01/2019 - 11:39:00

典odo tipo de preconceito ser combatido", afirmou Damares

典eremos um di疝ogo aberto com a comunidade LGBT. Nenhum direito conquistado pela comunidade LGBT ser violado, afirmou a ministra da Mulher, da Famlia e dos Direitos Humanos, Damares Alves. Segundo Damares, n縊 haver mudan軋s na estrutura destinada ao encaminhamento de demandas da comunidade LGBT (l駸bicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transg麩eros).

A ministra disse que a Secretaria de Prote鈬o Global, cujo titular ser o gestor pblico S駻gio Queiroz, ter uma diretoria dedicada 灣 causas LGBT.

鄭s demandas da comunidade LGBT nunca foram cuidadas por uma secretaria, sempre foram cuidadas por uma diretoria. E o presidente [Jair] Bolsonaro respeitou essa estrutura. Portanto, a comunidade LGBT continua com a estrutura que tinha no minist駻io, argumentou Damares.

A Diretoria de Promo鈬o dos Direitos de L駸bicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, que era vinculada Secretaria Nacional de Cidadania, ser mantida, com a mesma estrutura, na Secretaria Nacional de Prote鈬o Global. Damares disse que, no comando da nova pasta, vai lutar 菟elo combate a todos os tipos de preconceitos nesta na鈬o, inclusive LGBT.

Na Secretaria de Prote鈬o Global estar縊 tamb駑 o combate tortura, temas ligados anistia e ao combate ao trabalho escravo.

O Minist駻io da Mulher, da Famlia e dos Direitos Humanos ter oito secretarias tem疸icas. Al駑 da Prote鈬o Global, as secretarias cuidar縊 dos direitos das pessoas idosas, das pessoas com defici麩cia, da juventude, das crian軋s e dos adolescentes, da famlia, da igualdade racial e das mulheres.



Cr馘ito Mat駻ia: Da Reda鈬o com Ag麩cia Brasil
Cr馘ito da imagem: Divulga鈬o