09/10/2018 - 16:29:00

Mesmo com recomenda鈬o m馘ica, trabalhador sofre para ser atendido no CEM

Problemas de agendamento e encaminhamento para exames causam transtornos a pacientes que aguardam atendimento no Centro de Especialidades Médicas (CEM) de Campo Grande. José Antônio Garcia Domingos, de 36 anos, vítima de acidente de trânsito, estava no local na manhã desta terça-feira para fazer a troca dos curativos,  no entanto, foi informado que poderia ser atendido somente no domingo. Lucas Córdoba, de 33 anos, também acidentado, estava na unidade desde as 5 horas da manhã e esperava encaminhamento para uma tomografia no joelho machucado. Ambos reclamaram da precariedade da situação, demonstraram indignação e disseram se sentir impotentes diante do descaso com o povo.

José, que trabalha como atendente,  explicou que sofreu fratura exposta no pé direito após se envolver em acidente de trânsito no final de semana, perto do Shopping Campo Grande, quando teve a moto atingida por outra moto. Ele recebeu os primeiros socorros, foi submetido a cirurgia e recebeu sete pinos e diversos pontos no pé. Ele recebeu alta e a recomendação médica de que os curativos deveriam ser trocados três vezes por semana, no CEM. No entanto, ao chegar na unidade nesta manhã, foi informado que só seria atendido no domingo. “Ele disseram que por causa do feriado, com pouca gente trabalhando, marcariam só no domingo, ou seja, eu teria que passar a semana toda com o mesmo curativo”, disse.

O trabalhador alegou ainda não foi informado sobre a necessidade de agendamento para este tipo de procedimento e alegou que já estava sentindo desconforto no local dos ferimentos. “Eu preciso trocar, pois corro risco. Mas eles dizem que não podem fazer nada. Até os remédios que precisavam eu comprei para facilitar o serviço”, detalhou José reforçando seu descontentamento com a situação. “O funcionário veio aqui e disse que só me atenderiam essa semana caso houvesse inflamação. Ou seja, vão esperar a situação pior para só assim me darem socorro”, lamentou. Enquanto esteve no local.

Lucas, que é vigilante, também passa por situação parecida. Ele sofreu acidente na sexta-feira passada, fraturando a perna direita e o braço esquerdo. Na ocasião, foi resgatado por terceiros, já que nem mesmo viatura de socorro disponível havia. Inicialmente foi encaminhado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Leblon e depois transferido para o CEM. No sábado, foi atendido e liberado. Nesta terça-feira, retornou à unidade para trocar os curativos, e conseguiu. Porém, o médico que o atendeu solicitou um exame de tomografia do joelho, mas não fez encaminhamento. “O exame é pra ser feito na Santa Casa, mas sem encaminhamento não fazem. Estou aqui desde cedo e até agora não me deram posição”, explicou o rapaz não descartou fazer exame particular. “Na pior das hipóteses, vou ter que pagar. A gente se sente impotente numa situação dessas”.

A reportagem entrou em contato solicitando reposta sobre o assunto e aguarda resposta. 



Cr馘ito Mat駻ia: Por RENAN NUCCI
Cr馘ito da imagem: Foto: Bruno Henrique / Correio do Estado