18/08/2018 - 22:23:00

Sobe nmero de mortos com queda de ponte em G麩ova

Com a morte do motorista romeno de 36 anos Marian Rosca, subiu para 43 o nmero de mortos aps o desabamento de um viaduto na cidade de G麩ova, na It疝ia. Dos nove feridos que estavam internados, ele estava no grupo dos tr黌 em estado grave.

Embora ainda n縊 exista confirma鈬o oficial por parte da Delega鈬o de Governo de G麩ova, os dados de Prote鈬o Civil indicam que n縊 h mais pessoas entre os escombros. Hoje com a presen軋 do presidente, Sergio Mattarella, e do primeiro-ministro, Giuseppe Conte italiano foi realizado o funeral das vtimas, conduzido pelo cardeal e arcebispo de G麩ova, チngelo Bagnasco.

Indeniza鈬o

Tamb駑 neste s畸ado, o diretor executivo da concession疵ia de rodovias Autostrade per l'Italia, Giovanni Castellucci, anunciou a cria鈬o de um fundo inicialmente com 500 milhes de euros para compensar as pessoas que foram afetadas pelo desmoronamento da ponte Morandi na ter軋-feira passada.

Castelucci e o presidente da Autostrade, Fabio Cerchiai pediram "perd縊" para caso n縊 tenham sido capazes de mostrar solidariedade e luto pelos 43 mortos no incidente. Os empres疵ios anunciaram que os recursos ser縊 gerenciados pela prefeitura de G麩ova, para indenizar as pessoas que precisaram ser desalojadas.

De acordo com os diretores da Autostrade, que pertence ao conglomerado Atlantia, o trecho quebrado da ponte, vital para a circula鈬o no noroeste do pas e na cidade, poder ser reconstrudo com uma nova ponte de a輟 em oito meses. "Queremos fazer e faremos tudo o que for possvel para aliviar o sofrimento da cidade. N縊 queremos falar de custos, mais relevante o aspecto t馗nico. J estamos trabalhando para a reconstru鈬o e contar despesas n縊 a nossa prioridade", garantiu Castelucci.

O executivo n縊 quis comentar a decis縊 do governo italiano de abrir um processo para retirar da Autostrade a concess縊 de gest縊 das rodovias italianas por consider-la culpada pelo acidente devido falta de manuten鈬o da ponte.

A respeito da responsabilidade no desmoronamento, Castelucci reafirmou que "todos os relatrios que foram feitos" sobre a ponte Morandi "mostravam que estava tudo bem", mas que "os peritos e a an疝ise jurdica se ocupar縊 disso".

Ambos os dirigentes enfatizaram ainda que a ponte, dos anos 60, n縊 foi construda pela empresa e portanto "ser preciso ver como foi construda e outros elementos para poder definir as responsabilidades neste acidente, que tem que ser investigado a fundo".

*Com informa鋏es a EFE



Cr馘ito Mat駻ia: Por Ag麩cia Brasil* Braslia
Cr馘ito da imagem: EFE/Luca Zennaro/Direitos Reservados